PriscilaMonteiro
Piscóloga CRP: 05/40740
Psicologia - Qualidade de vida
 
   
 
Gravidez na adolescência

A adolescência é uma fase muito conturbada, estendendo-se aproximadamente dos 12 aos 20 anos, que se caracteriza por uma série de mudanças corporais e psicológicas, onde é redefinida uma visão de si e do mundo, visando construir a identidade social, sexual, ideológico e vocacional, ou seja, uma fase de descobertas.

A gravidez pode vir a interromper este momento de transição, este momento tão importante no seu desenvolvimento, fazendo-os assumir antes da hora papéis e responsabilidades de adultos, o que pode ser extremamente prejudicial por se tratar de uma fase em que são naturalmente instáveis devido todas estas mudanças. 

A gravidez na adolescência pode acarretar problemas a longo prazo, apresentando problemas de crescimento e desenvolvimento, emocionais e comportamentais, educacionais e de aprendizado, além de complicações da gravidez e problemas de parto.
Diariamente um número grande de adolescentes entra nos hospitais públicos devido os abortos ilegais e as internações para curetagem pós-aborto. Muitos são os casos de mulheres que sofrem seqüelas graves como conseqüência do aborto praticado sem a mínima condição de higiene.

A Organização Pan-americana de Saúde – OPAS ressalta que o abandono aos estudos limita ainda mais o desenvolvimento social da adolescente, acarretando prejuízo na qualidade de vida e nas oportunidades futuras.

A vida sexual vêem se iniciando cada vez mais cedo por inúmeras razões biopsicossociais. 
Vários fatores vêem contribuindo para isto, como: fatores biológicos; fatores de ordem familiar; fatores sociais, como a erotização provocada pelos meios de comunicação, que acabam por contribuir por um amadurecimento antecipado aos elementos ligados a sexualidade dos jovens, também nas classes econômicas mais desfavores onde há maior abandono e desinformação e menor acesso a contraceptivos, onde está a grande incidência da gestação na adolescência.

Fatores psicológicos como o fato dos adolescentes não acreditarem que isto nunca ocorrerá com eles, e de ao tentarem esconder da família acabam por não comprar os contraceptivos por receio de serem descobertos.

Também possui associação com baixa auto-estima, ao funcionamento intrafamiliar inadequado ou à menor qualidade do seu tempo livre. A falta de apoio e afeto da família, em uma adolescente cuja auto-estima é baixa, com mau rendimento escolar, poderiam induzi-la a buscar na maternidade uma forma de conquistar um afeto, uma família própria, reafirmando assim o seu papel de mulher, ou sentir-se ainda indispensável a alguém. 

O Pai Adolescente
É importante lembrar que não é apenas a vida da jovem mãe que muda, também ocorre mudanças significativas na vida do jovem pai e das famílias de ambos. A paternidade precoce ocasiona uma maior freqüência de abandono escolar, trabalhos abaixo da sua qualificação, aumento da prole e aumento no número de divórcios.

A mãe adolescente
Dada sua imaturidade emocional podem ocorrer alterações psicológicas, gerando extrema dificuldade em adaptar-se a esta nova realidade, exarcebando sentimentos já presentes antes da gravidez, como ansiedade, depressão e hostilidade. 
A mãe como referência na formação da personalidade do Bebê pode afetar a criança por causa dos transtornos psíquicos desta mãe. Ao não adquirir a identidade adulta poderá gerar vários conflitos como mãe-cuidadora devido à maturidade psíquica ser primordial para o seu desempenho como mãe. Estudos informam quanto às difíceis interações das mães adolescentes com seus filhos envolvendo graves descuidos e maus tratos.
Existem vários riscos para os filhos de adolescentes. Devido a dificuldades da sua nova condição muitas abandonam os filhos, dão à adoção e os que não são abandonados estão mais sujeitos a maus tratos.
Por isto é importante o uso dos contraceptivos durante o ato sexual, não apenas por causa de gravidez, mas também devido às doenças sexualmente transmissíveis (DST). Os métodos contraceptiveis são: espermicida, diafragma, camisinha, Pílulas anticoncepcionais e outros. 
As jovens devem procurar atendimento ginecológico antes de iniciar sua vida sexual para que possa assim tirar suas dúvidas, e aconselhamento quanto o melhor método contraceptivo e muito mais. E assim obter o acompanhamento médico necessário.


Cuidados na gravidez

Assim que descoberta a gravidez a jovem deve iniciar imediatamente o pré-natal e é de grande auxilio um acompanhamento psicológico para enfrentar e passar da melhor forma possível por esta nova realidade. Tendo assim uma gravidez mais tranqüila e com uma perspectiva positiva sobre este momento.
Reforçando a importância do controle pré-natal tanto para a adolescente quanto para o bebê, quanto mais cedo melhor.